• Paulo Loiola

Como a esquerda se uniu e venceu o bolsonarismo em Cabo Frio

Deu na coluna de Lauro Jardim n'O Globo:

"Ciro Gomes ligou para todos os prefeitos eleitos pelo PDT no Rio de Janeiro. Deu atenção especial, porém, a José Bonifácio, eleito em Cabo Frio. Prometeu fazer uma visita a cidade da Região dos Lagos em janeiro. Mas por que dar atenção a Cabo Frio? Porque foi na cidade onde aconteceu a maior vitória do PDT sob o bolsonarismo".

Esta notícia particularmente me deixou muito feliz muito pois nos últimos meses estive mergulhado como estrategista político na campanha de José Bonifácio à prefeitura de Cabo Frio, vencendo a eleição com 44,75% dos votos válidos e deixando para trás os candidatos ligados ao Jair Bolsonaro e tudo de ruim que ele representa.

Nunca há um único motivo responsável por campanha vitoriosa. A conjunção de fatores deve ser considerada. No caso de Cabo Frio, porém, quero aqui ressaltar a importância da frente única da esquerda na cidade. No segundo turno de 2018, Bolsonaro obteve 76% dos votos válidos por lá.

A união do PDT com PT, Cidadania, PSB, PCdoB, Podemos, Rede, PV e Avante só foi possível graças a uma visão política estratégica de que se houvesse fragmentação, seria mais fácil para o que há de pior na política vencesse. Pragmatismo, meus amigos.

Os cinco principais fatores que levaram vitória eu listo a seguir. Pega só a visão:

1. Planejamento estratégico

Coloco este tópico aqui com o risco de soar repetitivo, mas vou continuar batendo nesta tecla! rs Campanhas vitoriosas não se fazem de um dia para outro. O trabalho da BaseLab em Cabo Frio começou em julho, avaliando pesquisas, fazendo levantamento de ferramentas como a análise SWOT, workshop com a militância e pré-candidatos ao cargo de vereador/a e traçando as possibilidades de atuação. Antes, as forças políticas da cidade também já estavam atuando em conjunto. O Zé, como carinhosamente chamamos o agora prefeito eleito, é um quadro histórico do PDT fluminense e concorreu ao Senado em 2018, mostrando suas ambições políticas ao eleitorado e disposição para trabalhar. Forte do Rio de Janeiro, o partido tem feito um bom trabalho de base.

2. Dados

Pesquisas de opinião nortearam nosso trabalho do começo ao fim. Sendo que a pesquisa inicial demonstrava que a população demandava honestidade e experiência, o que foi ótimo para nós uma vez que José Bonifácio já havia sido prefeito anteriormente (1977-1983 e 1993-1996). Boa reputação, ficha-limpa e histórico de realizações não são para qualquer um e nós tínhamos. Então, focamos as mensagens de campanhas nestes ativos. A população, ainda segundo as pesquisas, também demandava mais representatividade de mulheres. Nossa resposta foi além do esperado. Bancamos a ideia do governo paritário. A vice é Magdala De Tamoios, do Podemos, e metade das secretarias será formada por mulheres. Fala se isso empolga ou não o eleitorado!? Com certeza.

3. Cuidado com a linguagem

Sendo bem franco: Se fôssemos bater de frente com os conservadores e evangélicos, nós perderíamos. É preciso entender e não atacar o eleitor. E, neste aspecto, a esquerda, via de regra, ainda está patinando - uma boa exceção parece ser Guilherme Boulos em São Paulo. Mantemos as propostas e os debates dentro do factível e de competência para o município: escola, saúde, infraestrutura urbana. É claro que os concorrentes tentavam a todo momento incutir o medo do comunismo e da inexistente “ideologia de gênero”, mas o contraponto se dava com um programa REAL para melhorar a cidade. Falamos de família? Falamos de família. Usamos a bandeira do Brasil? Usamos a bandeira do Brasil. Estes temas tão usados pela direita são de interesse de todos, não de uma ideologia. É possível abordá-los sem ser canalha. E a campanha consegui isso com sucesso.

4. Equipe multidisciplinar

Advogado, consultor político, jornalista, publicitário, militante de partido, gente que sabe fazer evento de rua e organizar campanha. Estes eram apenas alguns dos profissionais que atuavam no comitê digital. Aquela história de que “ninguém faz sucesso sozinho” é a mais pura verdade e quando pessoas com habilidades complementares se encontram, de forma coordenada com um objetivo claro em comum (que no nosso caso era derrotar o bolsonarismo), as chances de dar game são bem altas. Em Cabo Frio deu.

5. Uso estratégico de mídias sociais e tecnologia

Ainda na pré-campanha identificamos os grupos de debate político na cidade e seus principais atores. Tínhamos também mobilizadores digitais voluntários que nos ajudavam a espalhar conteúdo pró-candidatura. Essa ação foi ótima por três motivos: a) Havia para onde escoar nossos conteúdos para pessoas interessadas, b) Ficou mais fácil identificar tendências de debates e c) Tínhamos acesso imediato às fake news, que tão logo vistas recebiam uma resposta explicando o porquê se tratava de material político para enganar o eleitor.

Uma lição interessante deste trabalho é que a força que o Facebook ainda tem. Se o Instagram e o TikTok são tendência para os jovens, sobretudo de classe média, o Facebook está sendo muito acessado nas periferias e pela população mais velha. Absolutamente, não deve ser menosprezado e deve incluído nos planejamentos de mandatos que irão se iniciar em 2021.

Enfim, meus chapas. Há, ainda, muito o que se falar.

Foi uma campanha linda, que empolgou e só ressalta aquilo que escrevi no artigo anterior no LinkedIn: a esquerda precisa se unir e olhar com carinho para o progressismo no interior do Brasil. Para derrotarmos o banditismo e reacionarismo, infelizmente tão presentes na nossa política, temos que fazer diferente e, se necessário, contar com os partidos de centro. Em Fortaleza, DEM, PSDB, PSOL, PT e PCdoB estão juntos ao PDT para derrotar o bolsonarismo. E, sinceramente, torço para que Ciro Gomes tenha que fazer mais um telefonema de parabéns.

8 visualizações0 comentário

Contato

Quero contratar a Base.Lab, como eu faço? Sabemos que essa é uma grande questão depois que vocês conhecem nossos serviços. Não se aflija, basta deixar o seu contato abaixo que iremos tirar todas as suas dúvidas.