Coronavírus e eleições: a experiência dos EUA

Devido à pandemia do coronavírus, muitos políticos estão preocupados em forçar aglomerações de seus cidadãos, criando um desafio para os países que precisam realizar suas eleições esse ano. Embora a votação pelo correio não seja nenhuma novidade, modelo que vem sendo bem aplicado há anos por países como Estados Unidos, Suíça, Austrália e Índia, ela ainda enfrenta desafios em larga escala. Outros países, como a Polônia, estão descobrindo o quão difícil é garantir uma eleição livre e justa quando não há experiência prévia com formatos de votação à distância.


Como resultado, muitos Estados adiaram ou cancelaram suas eleições por temerem prejudicar a saúde pública, o processo eleitoral ou por razões meramente políticas. Segundo uma pesquisa do Instituto Internacional para Democracia e Assistência Eleitoral, pelo menos 56 países atrasaram as eleições nacionais ou regionais devido à pandemia.


Os americanos estão atualmente no meio da corrida presidencial de 2020. Embora o dia da votação, em 3 de novembro, não tenha sido remarcado, primárias em diversos estados e territórios foram adiadas ou tiveram seu formato alterado.